Para quando eu morrer
16 de agosto de 2016
Festa de Judite
13 de setembro de 2016

Outside In

O Candoco foi minha primeira referência enquanto artista com deficiência que não se sentia representado na Dança. Lembro quando assisti ao vídeo Outside In e pensei: eu quero trabalhar com este grupo. Ideia impossível para um menino do interior do Brasil, naquela época. Mas nossos caminhos se cruzaram, em 2002, quando dancei na abertura de uma noite de espetáculo da companhia e pude fazer um dos seus workshops.

O desejo de estar mais próximo continuou mais forte em mim. O tempo passou, eu me profissionalizei na Dança e quando menos esperava recebi um email dizendo que eu havia sido indicado e o Candoco me procuraria para participar de um projeto que o grupo apresentaria nas Olimpíadas Culturais de Londres.  Foram dois anos  (2010 a 2012) de intensa felicidade e aprendizado. Na última apresentação do projeto Unlimited, no momento dos agradecimentos, na reverência ao público, eu abaixei a cabeça e beijei o palco em gratidão à Dança por ter me levado tão longe.

IMG_20160902_090300

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *